ISO 14001:2015

Norma ISO 14001:2015 

PRINCIPAIS MUDANÇAS

A ISO 14001:2015  já foi publicada!

Alguns pontos de mudança da ISO 14001 originaram-se da adoção do Anexo SL das Diretivas ISO – Estrutura de Ato Nível, que padroniza títulos de subcláusulas, texto principal, termos comuns e definições fundamentais para melhorar a compatibilidade e alinhamento entre todas as normas de sistemas de gestão ISO (inclusive com a ISO 9001 que deve ser publicada também neste ano). Os principais pontos de revisão que são comuns a todas as normas de sistemas de gestão são:

Revisão do PDCA do SGA, mais alinhado à estrutura da Norma ISO 9001:

P (planejamento)

Ganhou um requisito mais amplo que engloba aspectos ambientais e requisitais legais, chamado de ações para endereçar riscos e oportunidades, com a visão de riscos e oportunidades para o SGA;

D (suporte e operação)

Parte do requisito de responsabilidades foi transferido para um novo requisito Liderança;

C (avaliação de desempenho)

O requisito de ações corretivas e preventivas foi transferido para o A (melhoria), e o de registros para o D (suporte e operação);

A (melhoria)

O elemento de análise crítica pela administração foi transferido para o C (avaliação de desempenho), e ganhou um requisito de melhoria contínua (como na ISO 9001:2015).

Requisito Contexto da Organização

Um novo requisito compreendendo o contexto da organização foi incorporado para identificar e alavancar oportunidades para o benefício tanto da organização como do meio-ambiente. Particular atenção é dada a questões relacionadas com as necessidades e expectativas das partes interessadas (incluindo os requisitos regulamentares) e as condições ambientais locais, regionais ou globais que possam afetar a organização ou serem afetados por esta. Uma vez identificadas como prioridade, as ações para mitigar o risco adverso ou explorar oportunidades benéficas estão integradas no planejamento operacional do sistema de gestão ambiental.

Documentação

Refletindo a evolução dos sistemas informatizados e computação nas nuvens para rodar sistemas de gestão, a revisão incorpora o termo “informação documentada”, em lugar de «documentos» e «registros». Para alinhar com a ISO 9001, a organização possui a flexibilidade para determinar quando são necessários “procedimentos” para assegurar o controle efetivo dos processos. Em nenhum requisito é definida a necessidade de procedimento (somente informação documentada e processos).

As principais mudanças específicas

Liderança

Uma nova cláusula foi adicionada para reforçar o comprometimento e responsabilidades da alta administração para com a gestão ambiental.

Gestão Ambiental Estratégica

Ênfase na importância da gestão ambiental nos processos de planejamento estratégico da organização, e sua inserção no contexto mais amplo da sustentabilidade econômica, ambiental e social.

Proteção ao meio-ambiente

Ampliação do comprometimento da organização com iniciativas proativas para proteger o meio-ambiente, coerentes com o contexto da organização, indo além da prevenção da poluição, como a utilização sustentável dos recursos, mitigação das alterações climáticas e adaptação, a proteção da biodiversidade e dos ecossistemas, etc.

Desempenho ambiental

Mudança de “melhoria do sistema de gestão” para “melhoria do desempenho ambiental”. Consistente com a política da organização, conforme o caso, consiste em reduzir as emissões, efluentes e resíduos, dentre outros itens, em níveis estabelecidos pela organização.

Abordagem de Ciclo de Vida

Foi reforçada a exigência atual para gerenciar, de acordo com a capacidade de controle e influência, os aspectos ambientais associados a bens e serviços adquiridos, além do uso/tratamento/disposição final dos produtos. Porém isso continua não implicando na obrigação de fazer uma avaliação do ciclo de vida do produto.

Comunicação

Foi ampliado e reforçado o processo de comunicação, com a necessidade de desenvolvimento de uma estratégia de comunicação com igual ênfase para comunicações internas e externas. Foi explicitado requisito para as pessoas fazerem sugestões para a melhoria do SGA. A decisão de comunicar externamente é estabelecida pela organização, mas a decisão deve levar em conta as informações estabelecidas pelo processo de comunicação definido e aquelas assumidas como obrigações pela organização (p.ex. exigidas pela legislação, órgãos reguladores ou assumidas perante outras partes interessadas).

As revisões se estenderam a todos os tópicos da norma, incluindo as definições, introdução, requisitos e anexos, sendo que os requisitos se tornaram mais detalhados, de modo geral.

TRANSIÇÃO

Um processo de 3 anos de transição da certificação para esta nova versão foi estabelecido pelo IAF (International Accreditation Forum), no documento IAF ID10:2015, publicado em 27/02/2015, em conjunto com o ISO Committee on Conformity Assessment (CASCO), a partir da data de publicação da ISO 14001:2015.

Certificações ISO 14001:2004 não serão válidas após 3 anos da data de publicação da norma. A data de expiração dos certificados ISO 14001:2004 emitidos durante o período de transição devem corresponder à data final do período de 3 anos a partir da data de publicação da ISO 14001:2015.

A ISO 14004 também tem sua revisão prevista para publicação ainda neste ano, alinhando-se à mudança da ISO 14001.

Michel Epelbaum – diretor da Ellux Consultoria

Consulte nossos serviços de ConsultoriaTreinamento e Auditoria em Sistemas de Gestão da Qualidade e Meio Ambiente, inclusive nas Normas ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015.

Gostou? Compartilhe este post!

Leave Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ellux Consultoria - há mais de 18 anos trazendo soluções em Gestão da Sustentabilidade, Qualidade e Riscos.

Oferecemos auditorias, consultoria, treinamentos e gamificações em Sistemas de Gestão com base nas Normas ISO 14001, ISO 9001, ISO 45001, ISO 26000, NBR 16001, SA 8000, ISO 50001, ISO 31000, ISO 37001, ISO 19600, NBR 19601, DSC 10000, PRÓ ÉTICA, BPM e outros modelos.