Relatório Better Business

IMPACTOS ECONÔMICOS: CORRUPÇÃO E AMEAÇAS AO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Em plena crise econômica, chamam a atenção notícias que mostram os prejuízos e a ineficácia da gestão de diversos temas, sinalizando os muitos assuntos onde podemos avançar, não somente do ponto de vista racional financeiro, mas também do ponto de vista social e ambiental. E quando temos os três assuntos relacionados, mais impactante é do ponto de vista de benefício. Cito aqui 2 deles:

Impactos Econômicos Diretos das Ameaças ao Desenvolvimento Sustentável

Em tempos de negação governamental a assuntos de interesse da população que sejam diferentes da “agenda pública” (me refiro à retirada dos EUA do Acordo de Paris para o combate ao Aquecimento Global, mas poderia citar outros diversos, vários deles no Brasil), o relatório Better Business, Better World de jan/17, da Business and Sustainable Development Comission, traz elementos para acreditar que grupos apartidários e sem origem governamental podem se reunir e dialogar para buscar soluções comuns aos desafios atuais. Formada por líderes de empresas, do setor financeiro, da sociedade civil, de organizações trabalhistas e outras internacionais, lançado no Fórum Econômico Mundial de 2016, esta comissão foi criada para mapear os prêmios econômicos potencialmente atingíveis caso os 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODSs) sejam alcançados, e descrever como o setor empresarial pode contribuir para atingir estes objetivos. A Comissão estima que atingir os ODSs em 4 sistemas econômicos críticos (que representam em torno de 60% da economia real: alimentos e agricultura, cidades, energia e materiais, e saúde e bem estar) abre um mercado de oportunidades estimado em US$12 trilhões, desde que as empresas coloquem estes assuntos em sua estratégia central. O texto cita que mais de 9 mil delas já o fizeram (este é o numero de signatárias do compromisso com o Pacto Global da ONU mas certamente muitas outras já o fizeram de outras maneiras).

O relatório traz um dado muito interessante sobre os Impactos Econômicos Diretos das Ameaças ao Desenvolvimento Sustentável, reproduzidos na figura abaixo:

Relatório Better Business

Percebe-se o tremendo impacto da violência e conflito armado (cerca de 9% do PIB Mundial), mas os números representados pelas ameaças seguintes são enormes (cerca de 3% do PIB mundial para impactos à biodiversidade e ecossistemas, fumo e obesidade). (NOTA: causou-me surpresa as mudanças climáticas responderem por somente 1,3% do PIB mundial –  especulo que as suas contribuições para as demais ameaças estejam contabilizadas separadamente em cada tema – p.ex. impactos à biodiversidade e ecossistemas).

O grupo seguinte (cerca de 2% do PIB mundial) inclui a corrupção, mas o fluxo ilícito financeiro pode somar mais 1,4% a esta componente (veja o exemplo a seguir).

Impacto Econômico das Organizações Criminosas no Brasil

A motivação para escolher o tema deste artigo veio do anúncio feito pela Polícia Federal de que, em 4 anos, deflagrou 2056 operações contra organizações criminosas por contratos fraudulentos, impostos sonegados, crimes financeiros e cibernéticas, verbas públicas desviadas e até mesmo danos ambientais (causados por empresas, madeireiras e garimpos), provocando prejuízos estimados em R$ 123 bilhões, sendo que o maior deles foi detectado pela Operação Greenfield (fraudes nos fundos de pensão – R$ 53,8 bilhões – 4 vezes o da Operação Lava-Jato – R$ 13,8 bilhões).

Do ponto de vista empresarial, as soluções micro para os problemas macro passam pela ampla revisão do planejamento estratégico, colocando o desenvolvimento sustentável e o combate à corrupção em seu centro. Além disto, deve-se buscar o fortalecimento da gestão para implementar a estratégia:

  • Demonstrar o exemplo pela liderança,
  • Definir metas e formas de mensurar os resultados,
  • Empoderar os colaboradores a atingir estes resultados,
  • Implementar políticas, sistemas e processos para controlar os riscos e impactos envolvidos,
  • Colaborar em redes multidisciplinares para o esforço comum da sociedade.

Sem medo de ser repetitivo, os melhores modelos e ferramentas de gestão devem ser buscados, aproveitando a padronização internacional com o “recheio” e customização local. Devemos prestar atenção nestes modelos internacionais, como os da ONU, WBCSD (World Bussiness Council for Sustainable Develoment), ISO e outras associações não governamentais de cooperação, que podem trazer efetiva evolução para o impacto econômico, social e ambiental, incluindo o combate à corrupção.

Michel Epelbaum – diretor da Ellux Consultoria

Consulte nossos serviços de Consultoria, Treinamento e Auditoria em Sistemas de Gestão de Sustentabilidade/Compliance/Integridade, inclusive nas Normas ISO 14001:2015 – ambiental, ISO 50001 – energia, ISO 26000 – responsabilidade social, ISO 37001antissuborno e ISO 19600compliance.

Saiba mais sobre este assunto em nossos posts relacionados:

MAIS INFORMAÇÕES SOBRE COMPLIANCE, CORRUPÇÃO E SEU COMBATE

CORRUPÇÃO BRASILEIRA: SISTÊMICA, ENDÊMICA OU SINDRÔMICA?

A IMPORTÂNCIA DA AVALIAÇÃO DE RISCOS NOS SISTEMAS DE GESTÃO DE COMPLIANCE

GESTÃO DE ENERGIA E SUSTENTABILIDADE: BOAS E MÁS NOTÍCIAS!

NBR ISO 37001 (ANTISSUBORNO) E OS MOVIMENTOS PARA SUA CERTIFICAÇÃO

PRINCIPAIS DISTINÇÕES ENTRE COMPLIANCE – ISO 19600 E ANTISSUBORNO – ISO 37001

RISCOS GLOBAIS 2017 – FÓRUM ECONÔMICO MUNDIAL

Gostou? Compartilhe este post!

Ellux Consultoria - há mais de 18 anos trazendo soluções em Gestão da Sustentabilidade, Qualidade e Riscos.

Oferecemos auditorias, consultoria, treinamentos e gamificações em Sistemas de Gestão com base nas Normas ISO 14001, ISO 9001, ISO 45001, ISO 26000, NBR 16001, SA 8000, ISO 50001, ISO 31000, ISO 37001, ISO 19600, NBR 19601, DSC 10000, PRÓ ÉTICA, BPM e outros modelos.